Orientações para produzir materiais didáticos de ampla circulação

Cartilha/Folder/Banner/Cartaz didático que sistematiza o aprendizado das Aulas Práticas e o integra com outros materiais didáticos e outras fontes de conhecimento pertinentes (trabalho em grupo)

Cada grupo deverá:

  1. escolher algum aspecto dos aprendizados práticos não óbvios, conforme temas sugeridos na tabela wiki ou levemente modificados;
  2. delinear claramente a abrangência e profundidade do tema a ser abordado priorizando temas úteis para estudantes, agricultores e outros interessados em agroecologia, e correspondentemente corrigir o título na tabela wiki para evitar sobreposição excessiva com outros temas abordados por outros grupos;
  3. sistematizar apenas aqueles aspectos do aprendizado da Aula Prática diretamente relevantes para o tema escolhido (não relatar tudo que aprenderam nas práticas!);
  4. pesquisar em publicações práticas (como manuais práticos, outras cartilhas didáticas, material de extensão/divulgação ampla etc) e citar recomendações complementares das experiências de produção agroecológica visitadas na matéria ou que conhecem de outra vivência, desde que diretamente relevantes, no seu trabalho;
  5. organizar (estruturar logica e didaticamente) o conjunto dessas fontes de conhecimento de uma forma facilmente entendível por um público amplo, que possa achar rapida e facilmente o assunto que estiver procurando, e útil para aplicação prática desses conhecimentos em outros lugares/momentos;
  6. a cartilha/o cartaz didático entregue em formato eletrônico será avaliado como tarefa da disciplina, conforme Plano de Ensino.

 

Concisão

Total máx. 500 palavras (incluindo legendas de figuras, referências e notas de rodapé).

 

Estrutura

  1. Título: Deve gerar interesse num público amplo; capturar a mensagem central da cartilha/do cartaz; ser conciso (breve mas informativo); e fácil de entender.
  2. Introdução: Justificar muito sucintamente porque tal prática ou forma de cultivo é importante para uma produção sustentável de alimentos. Tem a função de convencer o público alvo (p.ex. estudantes de agronomia que não tem noção de agroecologia) da importância da atividade ou da forma de cultivo. Lendo essa seção, o público alvo deveria sentir uma curiosidade tremenda de ler o resto!
  3. Experiências e recomendações práticas (corpo principal): A maior parte do conteúdo deve ser transmitido claramente por imagens, diagramas, tabelas, etc, substituindo texto no máximo possível. As recomendações devem permitir que um leitor desconhecido saiba como aplicar/adaptar a mesma prática de manejo em condições parecidas em outro lugar/momento. Não contar uma história anedótica ou cronológica das suas experiências e observações do dia! Nesse tipo de trabalho e na grande maioria de outros trabalhos em agronomia, ecologia e áreas afins não é necessário, nem apropriado fazer citações diretas. Ou seja, é mais apropriado vocês usarem as suas próprias palavras, apenas daqueles aspectos imediatamente relevantes para o assunto que vocês querem respaldar ou colocar em questão, usando citações indiretas. Citações diretas quase sempre são prolixas (ocupam espaço excessivo em relação a sua utilidade para o assunto discutido). Qualquer informação que não seja da sua criação ou de amplo conhecimento, precisa ser devidamente referenciada.
  1. Referências bibliográficas acessíveis e/ou outras fontes: Incluir referências em qualquer formato amigável para um público amplo não-acadêmico (ou seja, diferente de citações científicas pouco acessíveis para leitores não-acadêmicos), p.ex.:
    1. No texto/nas ilustrações:
      1. [divulgação em papel:] com citações enumeradas (sem nome do autor ou ano no texto) que apontam para notinhas rodapé que dão os dados bibliográficos minimamente necessários para leitores acharem a fonte sem equívocos, p.ex.
        “1. May, P.H. e outros (2008)  Manual agroflorestal para a Mata Atlântica. MDA, Brasília-DF” ou
        “2. Campos, R.C. e outros. Polinização e frugivoria do palmito jussara. LANUFSC, Florianópolis-SC”.
      2. [divulgação eletrônica:] com  hyperlinks ativos caso de hyperlinks, de preferência escolher fontes que tenham links estáveis, que mantém o mesmo endereço URL no meio/longo prazo. Para economizar palavras/espaço as citas no texto devem ser enumerados na ordem de aparência no texto e as referências no final muito abreviadas, p.ex.
        “Orientações teóricas e práticas detalhadas no Manual agroflorestal para a Mata Atlântica” ou
        “Além de produzir polpa de alto valor nutritivo para pessoas, o palmito juçara promove a conservação de diversos animais que polinizam suas flores e comem seus frutos“.
    2. Apenas no final  do material didático sem citação no texto [adequado para cartilhas pequenas, com pouco texto ou onde atrapalham números de citações no texto], também com hyperlinks estáveis sempre que o material for divulgado também em formato eletrônico, p.ex.: “Dionísio, A.C. e outros (2016) Agroecologia: Saberes e práticas. CEPAGRO, Florianópolis-SC.  cepagroagroecologia.wordpress.com“.
  2. Autores: Todas as pessoas que contribuíram ativamente na escrita precisam ser reconhecidas como (co-) autores, mesmo que não sejam estudantes (pode ser em fonte pequena para não ocupar muito espaço com info pouco interessante para o público alvo)

 

Entrega

Um(a) estudante responsável de cada equipe (“primeiro/a  autor(a)“) envia o arquivo eletrônico do trabalho por email (DOC/PPT ou ODT/ODP; max 20MB) com cópia (Cc: ) a TODOS OS COAUTORES até o prazo indicado abaixo. Em todo caso é fundamental que o nome do arquivo (e na capa dentro do arquivo) contenha os nomes de TODOS os coautores na ordem decrescente de contribuições para o trabalho. Ou seja, o nome do arquivo deve ter o seguinte padrão geral:

NumeroDaEquipe_Nome1-Nome2-Nome3-etc.doc

Exemplo:
4_JSilva-MAntunes-ACosta.doc

Quem não contribuiu significativamente para a elaboração do trabalho, NÃO deve constar entre autores, mesmo se tenha registrado seu nome na tabela wiki da equipe! No ato do envio ao professor o arquivo do trabalho precisa obrigatoriamente ser enviado com cópia (Cc: ) a TODOS OS COAUTORES. Desta maneira qualquer coautor(a) que não recebeu até o prazo uma cópia dessa entrega oficial do trabalho para o professor, tem a responsabilidade de agilizar o envio do trabalho final com os nomes de todos os coautores que contribuíram substancialmente para a elaboração do trabalho.

 

Pesos dos Critérios de Avaliação:

 

Peso Critérios
#1 40% Pertinência, coerência e estrutura lógica e útil das experiências e recomendações (se faltam pontos pertinentes em relação à abrangência do título, perde pontos aqui)..
#2 30% Concisão e clareza no conteúdo (se tiver blabla ou conteúdo vago ou ilustrações de relevância pouco clara, perde pontos aqui).
#3 30% Clareza na forma de apresentação e impacto didático. Aqui importa o que facilita a leitura e o entendimento, ou seja, se só ficar bonitinho, não ganha pontos. Inclui transparência no reconhecimento das autorias e fontes para leituras aprofundadas.
Plágio:  Copiar de outros materiais didáticos sem citar como hyperlinks ativos ou nas referências para leituras relacionadas ou aprofundadas (ver acima exemplos específicos de citar Referências em materiais didáticos de ampla circulação) será considerado plágio, lembrando que a produção de novos materiais didáticos somente é útil se não duplicar outros materiais já disponíveis!